Ela desvendou a lógica da programação e ganhou uma nova oportunidade no trabalho

0

Uma mesma mensagem pode ter significados totalmente diferentes, dependendo de quem a escuta. Por exemplo, se eu chamar uma pessoa de barril, um carioca vai achar que estou falando de alguém acima do peso. Já um baiano vai entender que, dependendo do contexto, eu posso estar me referindo a algo muito bom ou muito ruim.

Isso acontece, porque na comunicação há um fenômeno chamado filtragem. Cada pessoa interpreta o que ouve com base na sua própria visão de mundo.

Se as duas partes não conhecem a realidade do outro, há grandes chances de se criar um mal-entendido. Essa situação é bem comum no relacionamento entre as áreas de negócio e de TI.

Para resolver essa situação, é preciso que entender melhor a realidade e as restrições que seu interlocutor enfrenta. Assim, vocês podem criar uma base comum para estabelecer um diálogo mais produtivo.

Um bom exemplo dessa dinâmica é a história da Mirna Lima, que participou da primeira turma do Porta Lógica. Ela encontrou caminhos para superar as dificuldades de comunicação com o time de desenvolvedores. Neste artigo, vou te mostrar como ela fez isso.

Novo contexto, novos problemas

Recentemente, a Mirna fez uma transição de carreira. Ela trabalhava com o relacionamento como o cliente, mas isso mudou quando apareceu uma oportunidade na empresa para atuar junto com o time de tecnologia.

Ela assumiu então o posto de analista de produto. A missão dela era fazer a ponte entre o cliente e o time de programadores.

No início, porém, ela encontrou alguns obstáculos nessa relação.

“Eu tive uma dificuldade muito grande de entender como funcionava o processo de trabalho dos desenvolvedores. A gente tinha uma comunicação um pouco difícil. Era meio conflitante, porque eu não entendia o lado deles e eles não entendiam o meu lado, que é mais voltado para comunicação e relacionamento”, explicou.

Era como a história do barril lá do início do texto. A Mirna era a carioca e os desenvolvedores, os baianos. Cada um interpretando a mesma situação com filtros totalmente distintos.

Para superar essa barreira, ela teve que mergulhar no mundo da programação para entender a lógica que está por trás da criação de um software. E isso trouxe bons resultados para o trabalho dela.

“Hoje eu entendo que o processo de trabalho deles é completamente diferente do meu. Eles têm que seguir uma linha de raciocínio e eles precisam de especificações muito precisas”.

O problema é a comunicação, não as pessoas

Na relação entre analista de produto e time de desenvolvimento, muitas vezes, os desentendimentos acabam sendo levados para o lado pessoal.

Um lado começa a achar que o outro está de má vontade e o outro acredita que a demanda não faz sentido algum. Quando isso acontece, o clima da equipe fica horrível e a produtividade dos times despenca.

O resultado é que todos ficam insatisfeitos e o cliente não tem seu problema resolvido.

Por isso, é muito importante entender que o problema, na maioria das vezes, está na comunicação, e não nas pessoas. Nesse sentido, o caminho é exercitar a empatia e buscar entender melhor o contexto das outras pessoas.

Foi isso que a Mirna fez. “Hoje eu entendo quais são as especificações que eu tenho que colocar. O Porta Lógica me ajudou muito nisso, a entender como funciona o processo para eu conseguir me comunicar melhor com os desenvolvedores”.

Entender a lógica de programação permite que a galera da área de negócios crie pontes com a turma de TI. Como diz a Mirna, “se a gente não tem entendimento do lado do outro, nossa comunicação fica quebrada”.

Ao estabelecer canais de comunicação eficazes, o processo de trabalho fica muito mais harmônico e saudável.

Programação para não programadores

Se você se identificou com a história da Mirna e também quer entender melhor o mundo da programação, tenho um convite especial para te fazer.

No dia 18 de junho, vou abrir as inscrições para a próxima turma do Porta Lógica. Nesse curso, você vai aprender a pensar como um programador mesmo sem saber programação e vai poder usar essa habilidade para otimizar processos, solucionar problemas e triplicar sua produtividade.

Para receber em primeira mão mais informações sobre o curso, basta deixar seu melhor e-mail no formulário aqui embaixo. Te prometo que você vai mudar sua visão sobre desenvolvimento de software.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.