Português

Estatísticas sobre a Comunidade Python no Brasil.

henriquebastos
Escrito por henriquebastos em 18/12/2010
Junte-se a mais de 5000 pessoas

Quero mudar e dar o primeiro passo!

No início do ano, eu fiz uma pesquisa sobre a comunidade Python no Brasil. O objetivo era simplesmente obter informações para a palestra que eu apresentei na PyCon 2010.
Em pouco mais de 10 dias, mais de 300 pessoas responderam o questionário!
Essa pesquisa mostrou que diversidade é realmente uma característica marcante da comunidade Python. O relatório “Quem Somos?” mostra que o grupo é formado por pessoas de diferentes faixas etárias, com diferentes interesses, experiências e objetivos.
Além da diversidade de pessoas, a diversidade de aplicações da linguagem Python também é muito interessante. O relatório “Como Python é usado?” reforça a característica do Python servir à propósitos gerais, mostrando seu uso no desenvolvimento de aplicativos web, pesquisa, administração de sistemas, educação, e muitas outras iniciativas.
A variedade de frameworks e toolkits também é notável, mesmo havendo uma clara concentração no desenvolvimento web com amplo uso do Django.
Entretanto, como acontece na internet de maneira geral, a maioria das pessoas ainda não participam ativamente das iniciativas da sua comunidade. O relatório “Ativismo” mostra que muita gente se limita a participar de listas de discussões.
Ainda é muito reduzido o número de pessoas que participam de eventos, e principalmente, que frequentam regularmente os encontros dos seus grupos.
A pesquisa não evidenciou os motivos por trás deste perfil de participação. Mas sem dúvidas esta é a questão que precisa ser trabalhada. E digo isso de maneira geral!
A proporção de pessoas sentadas atrás do monitor, consumindo passivamente o conteúdo da internet, é infelizmente, infinitamente superior à proporção de pessoas com a mão no teclado se expressando ativamente e compartilhando suas idéias na rede.
Estes foram os pontos principais que observei nesta pesquisa. Fiquei satisfeito com o resultado, e muito feliz pela colaboração de tantas pessoas em tão pouco tempo. Outras análises podem (e devem) ser feitas a partir desta pesquisa. Para isso, basta baixar os dados coletados e postar suas conclusões no seu site, blog, etc.
Precisamos continuar desenvolvendo a comunidade, um small act de cada vez, reduzindo as barreiras de entrada, e principalmente mostrando que é possível realizar as mudanças que desejamos viver. Fica então minha sugestão de reflexão de fim de ano: O quanto você faz, por aquilo que deseja?
[]’s, HB!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 Replies to “Estatísticas sobre a Comunidade Python no Brasil.”

Alexsander Lopes Camargos

Ola Henrique!
Ao clicar no link relatório “Ativismo” esta abrindo o link presente no relatório “Quem Somos?”
Acho que não era esse seu objetivo, certo, de uma olhada nesse problema.
Abraços.

Henrique Bastos

@Xiquinho: Tks!
@Alexsander Obrigado pelo aviso! Já corrigi o link.

Tweets that mention Estatísticas sobre a Comunidade Python no Brasil. | Henrique Bastos.NET -- Topsy.com

[…] This post was mentioned on Twitter by Henrique Bastos. Henrique Bastos said: Novo post: Estatísticas da Comunidade Python no Brasil http://bit.ly/fbMEP3 […]

Francisco Souza

Sensacional! 🙂
Parabéns pelo post e pela pesquisa o/

Pesquisa sobre a comunidade Python Brasil em 2014 | InspirAda na Computação

[…] Escrevi recentemente este artigo: “Por que admirar a linguagem Python e sua comunidade?!” e teve uma aceitação muito legal e bem acima do esperado. Estive pesquisando dados sobre a comunidade Python e o perfil dos usuários da linguagem, mas só encontrei dados do ano de 2010 na pesquisa criada por Henrique Bastos. […]

Pesquisa sobre a comunidade Python Brasil em 2014 - InspirAda na Computação

[…] Escrevi recentemente este artigo: “Por que admirar a linguagem Python e sua comunidade?!” e teve uma aceitação muito legal e bem acima do esperado. Estive pesquisando dados sobre a comunidade Python e o perfil dos usuários da linguagem, mas só encontrei dados do ano de 2010 na pesquisa criada por Henrique Bastos. […]