Como empreender do zero — parte 2: Quem é a sua empresa e como ela pode alavancar sua autonomia

0

No artigo anterior, eu falei sobre três fatores que devem estar presentes na sua forma de encarar o mundo quando você decide empreender: a) desenvolver sua autonomia; b) saber se adaptar à realidade; e c) identificar o valor que você gera.

Leia o artigo: Como Empreender Do Zero – Parte 1: Será Que Você Está Pronto Para Empreender?

Hoje, quero aprofundar mais esse papo e conversar com você sobre quem é a sua empresa. Aqui eu uso “quem é” no lugar de “o que é”, porque eu não estou falando aqui de montar um S.A. ou de construir uma startup para fazer um IPO (lançar sua empresa na bolsa de valores).

Eu estou falando pra quem quer se portar como uma empresa, pra quem se sente limitado pelo salário, pra quem quer desenvolver sua própria forma de trabalhar sem ficar preso na empresa que trabalha.

Neste artigo, vou mostrar que uma empresa não é apenas uma estrutura formal. Ela é antes de tudo uma ferramenta que te permite alavancar sua autonomia e se tornar dono do seu próprio tempo.

Ela possibilita que você se organize usando o negócio como um meio para se desenvolver. É uma forma de usar seus talentos e seus conhecimentos para ampliar o número de caminhos possíveis.

Na minha jornada, percebi que há alguns fatores-chave relacionados com o conceito de empresa que devemos observar.

Segurança é ilusão

Na minha trajetória, aprendi que não há caminho seguro. Por isso, desenvolver autonomia te ajuda a lidar com a incerteza enquanto forja seu próprio caminho.

Aprendi que, quanto mais Autonomia, mais você Empreende (verbo); seja no seu trabalho, na sua família, na sua igreja, no seu negócio. A empresa nada mais é que uma abstração de alto nível que nos permite assumir riscos perante a sociedade.

Ela é, de certa forma, um instrumento de expressão – e expansão – da sua autonomia. É um conjunto de estratégias para que você consiga se organizar com base nos seus conhecimentos e nos seus gostos para se colocar a serviço da sociedade e programar sua vida da forma que você quiser.

Em suma, a empresa é uma forma de você usar suas habilidades para ficar com a maior parte da recompensa de enfrentar os riscos. Isso nos leva ao segundo ponto.

O salário sempre será mínimo

Não tem jeito. O salário é o mínimo que uma empresa te paga para você fazer o trabalho sem encher o saco. No mercado, você é custo. Por isso, você sempre estará lutando contra um processo de achatamento da sua remuneração.

Além disso, num modelo de emprego formal, você está vendendo um dos seus bens mais preciosos e escassos: o tempo. Empreender te permite parar de vender horas e começar a vender soluções.

Você sai do mercado de trabalho e vai para o mercado de problemas, onde o importante não é o tanto que você trabalha, mas sim o valor que você gera. Isso te permite ganhar mais dinheiro em menos tempo. Você passa a ter liberdade para fazer do tempo o que você quiser.

Você empresa

Ter autonomia é poder se relacionar de igual para igual com qualquer pessoa. Quando isso acontece, você consegue expressar melhor seu potencial e criar relações mais saudáveis, que te permitirão ter uma vida com mais significado e mais tempo para fazer o que faz sentido.

Nesse sentido, é importante entender bem o verdadeiro conceito de empresa e como ele se relaciona com o seu estilo de vida e com o restante da sociedade. Eu vou detalhar melhor esse processo no meu curso Eu empresa, que está com matrículas abertas até o dia 25 de fevereiro de 2019.

No próximo artigo dessa série especial, falarei sobre as regras do jogo que envolve a abertura de uma empresa e como lidar com a sopa de letrinhas que aparece pelo caminho. Ao falar sobre isso, terei a oportunidade de te ajudar a entender um pouco mais como lidar com a burocracia para não depender do contador.

Grande Abraço, HB!

Conheça todos os detalhes do Eu Empresa clicando aqui ➡

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.