3 atitudes essenciais para quem quer migrar da CLT para PJ

0

Durante boa parte de nossas vidas, vendem para gente que o emprego é a única forma de trabalho possível. E não é. É apenas um tipo possível. Na minha jornada, entendi que ser dono do meu próprio caminho é muito mais valioso que os supostos benefícios da CLT.

Ser PJ não significa apenas trabalhar em uma nova configuração jurídica. Isso é o de menos. A verdadeira transformação está na ampliação de possibilidades que o ato de empreender te oferece.

A minha definição de empreendedorismo é: como é que eu vou eliminar os obstáculos e criar caminhos possíveis para eu colocar os meus talentos a serviço do próximo.

E se você quer seguir esse caminho, um CNPJ é fundamental. Não por conta do aspecto burocrático da coisa, mas pelo mindset que ele te traz. Você deixa de ser um funcionário e se posiciona como alguém que cria e gera valor para a sociedade, que resolve problemas, que tem uma reputação.

Contudo, muita gente migra da CLT para PJ por uma situação pontual, apenas para aproveitar uma oportunidade de emprego. Isso pode ser um baita tiro no pé e pode limitar o seu crescimento. Por isso, neste artigo, quero compartilhar com você três atitudes essenciais que me ajudaram nessa transição.

1) Abandone a mentalidade de funcionário

Quem trabalha com conhecimento não é só uma engrenagem no sistema produtivo. O conhecimento é um sistema complexo. E os agentes dos sistemas complexos são agentes autônomos. Você não é uma engrenagem em um projeto.

Então, você não tem mais uma função, você tem uma potência. Mas, quando você não deixa a mentalidade de funcionário de lado e age apenas como um executor de demandas, você está jogando grande parte dessa potência no lixo.

O grande lance de ter um CNPJ é se empoderar e poder conversar de igual para igual com qualquer pessoa. É exercitar sua capacidade de propor soluções criativas baseadas no seu talento, e não de ser só um garçom para tirar pedido do cliente sem avaliar se aquele é de fato o melhor caminho a seguir.

Por isso, tenha cabeça de dono de negócio. Venda soluções, e não horas.

2) Aprenda a evitar burocracia

Burocracia é parte da vida. Se você não se ligar que isso é parte do jogo, vai dar merda. A única pessoa que não vai enfrentar burocracia é quem não faz nada. Isso não quer dizer que você não possa pensar em caminhos que reduzam o tempo que a burocra te toma.

Entendendo como o sistema funciona, a gente consegue criar interfaces para se antecipar e reduzir o impacto dos obstáculos burocráticos. O mais importante é você ter clareza do rumo que quer seguir.

A partir desse ponto, você é capaz de criar estratégias para escolher os modelos que melhor se encaixam no que você se propôs a fazer. Assim, você consegue hackear o sistema e usá-lo ao seu favor.

Para isso, você não pode ter medo, nem nojinho. Tem que meter as caras, conhecer e avaliar os melhores caminhos para chegar aonde você deseja. Tenha clareza de que a burocracia é parte das regras do jogo que você quer jogar. Ter medo dela só vai travar seu desenvolvimento e atrasar a sua jornada.

3) Use seus talentos para servir os outros

Desenvolver uma cultura de servir os outros é essencial para quem quer empreender. Quando você se preocupa verdadeiramente com a dor do cliente e se dispõe a fazer o que estiver ao seu alcance para ajudá-lo, isso traz resultados incríveis.

Os negócios são fruto do relacionamento. E nada melhor para criar e fortalecer relacionamentos do que resolver problemas de outras pessoas. Mesmo que isso não te traga um retorno financeiro imediato, você estará pavimentando um caminho que irã fortalecer sua reputação e sua rede de contatos. Isso trará ótimos frutos e te permitirá evoluir como pessoa e profissional.
Quanto mais você serve, mais conexões cria. Isso amplia o seu número de caminhos possíveis, o que aumenta sua liberdade e sua autonomia.

Na minha carreira, já perdi as contas de quantos pessoas que ajudei sem nenhum interesse e que, depois de um tempo, se tornaram ou me indicaram clientes. Quando você desenvolve essa atitude de sempre servir ao outro, você alimenta um ecossistema positivo ao seu redor que vai te trazer infinitas possibilidades de crescimento.

Aqui vale lembrar o velho ditado: servir bem para servir sempre.

Transforme seu CNPJ e uma alavanca da sua carreira

Se o que eu falei aqui fez sentido para você, queria te fazer um convite especial. Eu desenvolvi um curso chamado Eu Empresa, no qual você vai aprender como empreender com segurança e liberdade, deixando de ser refém das burocracias e gerenciando todos os seus processos administrativos com apenas 5 minutos por mês.

Além disso, você vai conhecer o passo a passo para abrir seu negócio e escolher o melhor formato de empresa para a sua jornada. Com isso, você vai dominar as regras do jogo e escapar de ciladas que fazem muita gente boa quebrar nos primeiros anos como PJ.

As inscrições se encerram esta semana. Então, corre lá e garanta logo sua vaga. Será um prazer te ajudar nessa caminhada. Eu já passei por essa transição e posso te dizer que foi uma das melhores coisas que fiz na minha vida. Ser protagonista da própria história não tem preço. E é isso que eu quero para você!

Clique aqui e conheça todos os detalhes deste programa!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.