Como não desistir de ser um programador

0

Cansaço, estresse, retrabalho, demandas sem sentido, hora extra, insatisfação…Se ao ler essas palavras você se lembra do seu trabalho, este artigo é para você.

Infelizmente, cada vez mais programadores se sentem desanimados com o mercado de TI. Estão presos em uma rotina de reuniões intermináveis, demandas sem sentido e uma eterna caça às bruxas para descobrir o culpado pelos prazos – muitas vezes insanos – não serem cumpridos.

Eu sei bem o que é isso. Essa já foi a minha realidade e é a realidade de muita gente atualmente. As coisas não funcionam bem e ninguém sabe o que fazer para melhorar.

Se você já passou por isso e chegou até a trocar de emprego pensando que o problema era só em uma empresa. Sabe que isso acontece em todo lugar. Muda o contexto, mas a história se repete.

Neste texto, quero compartilhar com você o que eu fiz para sair dessa situação. Vou falar sobre algumas técnicas que vão te ajudar eliminar todo esse desperdício de energia, tempo e dinheiro.

Assim, você vai conseguir resgatar a motivação que fez você decidir se tornar um programador e vai melhorar sua qualidade de vida.

Só métodos ágeis não bastam

Nos últimos anos, os métodos ágeis se transformaram em uma verdadeira bala de prata. Muitos gerentes de projetos acreditam que basta aplicar o scrum que, da noite para o dia, tudo vai rodar às mil maravilhas.

Mais uma vez, um monte de gente cai no conto de que a tecnologia sozinha é capaz de resolver a bagunça. Isso é uma baita de uma cilada.

Métodos ágeis por si só não vão melhorar a situação. É preciso desenvolver um novo mindset. O modelo predominante hoje no desenvolvimento de software é o da produção em escala que importamos da indústria e da engenharia.

O foco está em produzir muita coisa com muita velocidade. É o mindset da eficiência.

O problema é que de nada adianta você andar mais rápido se estiver na direção errada. Por isso que defendo que eficácia e tempo são mais importantes do que volume e eficiência.

No mindset da eficácia, o foco está em fazer a coisa certa, em resolver a dor do cliente de fato. Nesse modelo, o programador deixa de ser um mero executor de demandas para se transformar em um verdadeiro solucionador de problemas.

Seu software só tem valor quando é utilizado

O seu código sozinho não vale nada! O que importa é o que acontece quando seu código roda. É aí que mora o valor do seu trabalho.

De nada adianta programar horas a fio e escrever centenas de linhas se, no final das contas, seu software não melhorar a vida de quem for usá-lo. Quando você se desconecta dessa premissa, corre o risco de jogar seu esforço no lixo.

Você já teve a frustrante experiência de ouvir os requisitos do sistema da boca do cliente e depois que você fez e entregou, ele disse que não era nada disso que ele queria?

No mindset tradicional da eficiência, isso acontece com uma frequência assustadora. Mas como fugir desse tipo de situação?  A resposta é: ciclos curtos de feedback.

Você precisa entregar software com muita frequência para o cliente. Em vez de levar meses para entregar uma nova versão cheia de coisas, a gente passa a entregar melhorias no software todos os dias.

Assim, toda vez que o cliente usa o software, nós obtemos mais informação sobre o que precisa ser feito em seguida, estabelecendo um ciclo de feedback.

Quanto mais curto for o seu ciclo de feedback, mais forte será sua conexão com o valor. Já quanto mais longo for o ciclo, maior é o risco de dar merda.

A arte do desenvolvimento eficaz

O grande benefício que senti ao adotar esse novo mindset de programação foi recuperar o propósito do meu trabalho. Quando comecei a focar em resolver problemas, isso me abriu muitas portas e aumentou o número de caminhos possíveis na minha vida.

Com isso, consegui desenvolver minha autonomia para traçar minha jornada da forma que eu sempre quis. Percebi que o mercado de trabalho é estreito, mas o mercado de problemas é praticamente infinito. Um verdadeiro mar de oportunidades.

Se o que te falei neste artigo fez sentido para você, tenho um convite especial para te fazer. Preparei um mini-curso totalmente gratuito sobre como programar para não ser programado.

Lá compartilho vários aprendizados que tive na minha carreira e que me permitiram ter mais liberdade para viver a vida da forma que eu sempre desejei. Para assistir, basta deixar seu melhor e-mail no formulário aqui embaixo. Te espero por lá!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.