Como descolar uma vaga de programador em outro país

Conseguir um trampo fora do Brasil não é moleza. Existem algumas regras básicas que você tem que saber para ser dev na Gringolândia. Veja quais são elas.

0

A primeira pergunta que eu te faço é: você está em busca de trabalho ou de emprego? Sim, são coisas diferentes. O mercado de trabalho é liberal e está cheio de oportunidades. O mercado de emprego é limitado, pois necessita de chefe e de vagas nem sempre disponíveis.

Qual deles você pretende encarar?

Independente da sua escolha, quando se trata de descolar uma vaga de programador em outro país, existem requisitos mínimos, algumas alternativas e dicas importantes que você deve considerar.

Por isso, nesse artigo vou falar sobre o que você deve saber antes de procurar trabalho, quais são as formas de descolar um trampo na gringa e como se posicionar para ser encontrado.

 

#O que você deve saber antes de procurar trabalho

1) Aprenda falar inglês

Pode reclamar à vontade, mas tem coisa que você tem que saber se seu objetivo é morar e trabalhar no exterior. A primeira delas: falar inglês.

Como viver num país em que você não fala a língua dos caras? A comunicação é tudo para se relacionar e conseguir uma oportunidade. Você pode não saber o português, mas você precisa saber o inglês. Até porque muitas empresas dão mais valor ao nível de inglês do que ao nível técnico.

E a melhor maneira de aprender um novo idioma é sair praticando, falando “nóis vai, nóis vem” mesmo. Se você está disposto, eu indico o site italki.com para te ajudar no treinamento de conversação. Inclusive, você pode até fazer simulações de entrevistas. É totalmente excelente!

 

2) Saiba levar “não”

A segunda coisa que você tem que saber é que você vai levar uma porrada de ‘nãos’. Pode ser que você passe semanas enviando centenas de currículos para receber apenas uma resposta. Vai desanimar e desistir? Não! Você vai fazer o que apelidamos de “cascorar” – vai engrossar a casca e desenvolver predisposição para ser rejeitado.

Mas olhe pelo lado bom: você só precisa realmente dessa uma resposta. E o problema de muitas pessoas é não enxergar o mínimo viável. Pense onde você está… Você está no zero. Aonde você precisa chegar? No um! O dois é outra história.

 

3) Seja solucionador de problemas

Outra coisa que um programador precisa saber é resolver problemas. Essa capacidade é primordial para você se destacar na profissão e ainda mais em terras estrangeiras. Os gringos não poupam investimentos quando a missão é encontrar pessoas comprometidas, que sejam capazes de ajudar os outros e que estejam dispostas a aprender.

 

#Quais são as formas de descolar um trampo na gringa

1) Faça um intercâmbio

Existem algumas alternativas possíveis para conseguir um trabalho fora do Brasil. A primeira delas – e mais coerente – é fazendo um intercâmbio.  Além de ser a situação mais favorável para conseguir um visto de estrangeiro, ser estudante no exterior te dá possibilidade de trabalhar por meio período.

As vagas part-time, apesar de não serem as mais disponíveis, são uma boa forma de adquirir experiência e é um bom gancho para construir relacionamento com as empresas do seu interesse.

 

2) Trabalhe como freela

Ser freelancer é a segunda alternativa viável de conseguir um trampo na Gringolândia ou de trabalhar para uma empresa estrangeira, mas exige um pouco mais de dedicação, porque é quase um trabalho de empreendedor… Eu falo mais sobre essa modalidade na hacktalk:  Como começar sua carreira de freelancer?

Para trabalhar de modo independente é primordial que você saiba precificar o seu serviço e os gringos são muito rigorosos com isso. O segredo é construir uma imagem positiva a seu favor para despertar o interesse deles.

Eu conheço um cara que fez isso de forma genial. Assista essa hacktalk e veja o esquema que o Thiago Rossener fez para montar sua vitrine.

Outra coisa que um freelancer precisa fazer é trabalhar o relacionamento com seus clientes. Por ser autônomo, você vive de indicações e para ser indicado, os caras precisam gostar do seu trabalho. Mas não basta só fazer um bom código, é preciso estabelecer uma relação de confiança.

E como se faz isso? Cumprindo os combinados, resolvendo os problemas do cliente, não deixando ele na mão e assim por diante.

 

3) Seja empreendedor

Para ser programador em outro país ou para uma gringa, você pode também abrir sua própria empresa. Daí a importância de responder aquela minha primeira pergunta sobre trabalho ou emprego.

Oferecer seus serviços como uma consultoria é estar disposto a ir atrás de trabalho, sejam eles tranquilos ou cabulosos. Mas também é uma boa estratégia para elevar seu preço, afinal você será uma empresa contratada, não um empregado.

Se essa é uma alternativa interessante para você, eu tenho uma novidade: O EU Empresa pode te ajudar na nova empreitada. Por causa desse lançamento, eu decidi fazer uma série de conteúdos especiais respondendo as principais dúvidas da galera sobre o assunto. Para não ficar de fora dos eventos, se inscreva no formulário abaixo.

 

#Como se posicionar para ser encontrado

1) Se relacione bem

Quem quer trabalhar para fora do Brasil precisa investir em relacionamento. É isso que te ajudará a criar momentos oportunos para encontrar os trampos.

Sabe aquela história de estar no lugar certo, na hora certa? É isso! Combinado com aquela outra história de “quem não é visto não é lembrado”. E não precisa esperar chegar em outro país para começar a construir relações.

Tem muita gente que consegue emprego fora estando ainda no Brasil e fazendo todo o processo por aqui. Tem gente que a empresa até paga para ir fazer o processo lá, mesmo sem ter a garantia de ser contratado. O segredo é mostrar que você pode agregar valor a eles.

 

2) Participe de eventos

Uma vez na Gringolândia, comece a participar de meetups – todos que você puder. Não se limite a participar de eventos apenas das tecnologias que você já conhece. Encontre outras comunidades, descubra tecnologias, contribua com o que você puder contribuir e aproxime-se das pessoas.

Em algum momento, alguém vai se lembrar de você para indicar uma vaga e é só disso que você precisa.  

 

3) Se mostre na rede

Manter o Linkedin atualizado também é MUITO importante. Aqui no Brasil, essa cultura ainda não pegou tanto, mas para algumas empresas do exterior, ele é tão importante quanto manter o currículo atualizado.

Aliás, currículo é outra coisa importante. Entenda o tipo de currículo que o país exige. As culturas são diferentes, por isso os modelos de cada CV também mudam. Uns querem saber mais sobre você do que sobre suas qualificações, outros dão mais valor à carta de apresentação e outros nem precisam saber sua idade.

A gente fala muito sobre isso na hacktalk: Como não errar na hora de preparar e enviar o seu currículo. Vale a pena assistir! ⤵️⤵️⤵️

No fim das contas, descolar seu trampo na Gringolândia não vai ser uma tarefa fácil, mas se esse é seu objetivo, mete ficha!

A nossa rede tá aqui pra te ajudar! Toda semana nós fazemos hacktalks para compartilhar conhecimentos e encontrar as melhores formas de desenvolver a nossa própria autonomia. Não fique de fora desses eventos!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.