Como ganhar o dobro que o mercado paga trabalhando a metade do tempo

0

Calma. Eu sei que o título deste artigo pode parecer papo de guru, mas não é. Esse texto nasceu de uma reflexão que tive dia desses conversando com alunos do WTTD. Quem trabalha no mercado de TI sabe o tanto de tempo e recurso que é jogado fora em cada projeto.

A grande questão é que, mesmo assim, as empresas continuam ganhando dinheiro.
Então, eu te pergunto: se no mercado de software tem tanto desperdício de tempo e energia, por que ele continua crescendo?

Porque a alavancagem do software é animal. Assim, mesmo com toda a perda de recursos que rola no processo, ainda se cria mais valor a ponto de valer o investimento. O retorno ainda é várias vezes maior do que o aporte inicial.

Basta observar que as maiores empresas do mundo são de tecnologia.

Então, neste artigo, quero te mostrar como você pode usar esse cenário a seu favor para ganhar mais e trabalhar menos. Assim, você vai ter mais tempo para construir a vida que você sempre desejou.

Uma fórmula simples

Pensando no cenário do mercado de TI, criei a equação 2d/(t/2). Isso significa ganhar o dobro que o mercado paga trabalhando a metade do tempo.

Mas como fazer isso? O primeiro passo é superar a visão limitante do “salário de mercado”, onde o pagamento não está ligado ao resultado que você traz, e sim a uma situação em que as pessoas se comparam entre si.

Eu sempre digo que salário é o mínimo que você paga para alguém fazer o trabalho sem reclamar. Em outras palavras, salário é sempre mínimo.

O segundo passo é parar de vender horas e passar a vender soluções. Quando você vende seu tempo, a possibilidade de ganho está limitada, pois, por mais que você faça horas-extras, sempre haverá um teto – já que não há como multiplicar as horas do dia.

Quebrando essas duas crenças limitantes, o próximo passo é entender e comunicar o valor que você gera. Isso nos leva ao próximo tópico.

Quanto dinheiro o seu trabalho cria ou economiza?

O mercado se divide entre aqueles que estabelecem os preços e aquele que aceitam os preços. Se você não souber responder essa pergunta, estará sempre no segundo grupo. Sempre terá de aceitar o que a empresa ou cliente quiser te pagar.

Eu sempre falo pra galera que saber tangibilizar o resultado financeiro do seu trabalho é o primeiro passo para alcançar sua própria autonomia como dev e como pessoa.

Quando você consegue demonstrar o valor que é capaz de agregar por meio do seu trabalho, pode sugerir uma fatia que você quer morder do montante que é gerado para a empresa ou para o cliente.

Nesse modelo, você não vai mais precisar choramingar para aumentar uns trocados no seu salário, pois vai poder negociar parte da grana que você está produzindo ou que está ajudando a economizar.

Vamos dar um exemplo prático. Se você chega para um cliente e pede R$100 mil para desenvolver o seu software, é provável que ele ache muito caro e se recuse a te dar essa grana.

Agora, se você provar para ele que o software que você vai desenvolver vai economizar R$1 milhão por ano, faz sentido ele te dar 10% desse valor – afinal será um investimento que se pagará com o tempo.

Nesse cenário, ser remunerado pela contribuição que você dá para resultado final faz muito mais sentido do que receber um pagamento mensal baseado no “salário de mercado”.

Saber o valor que se gera muda sua postura, permitindo que você esteja mais forte nas negociações e que você seja um investimento menos arriscado para a empresa ou para o cliente.

Para fazer isso, você precisa parar de agir como um fazedor de demandas e começar a se portar como um solucionador de problemas.

Desenvolva sua capacidade de gerar valor

À medida em que você enxerga e tangibiliza o valor que consegue criar, você aumenta o seu próprio valor. Isso vai te tornar um profissional e uma pessoa muito mais livre.

O mercado de problemas é muito mais vasto e valioso que o mercado de trabalho. Nesse sentido, um solucionador de problemas tem muito mais chances de trabalhar com projetos que estejam alinhados ao seu propósito e que tragam um retorno financeiro proporcional ao resultado que o trabalho gera.

Isso vai te permitir ser mais protagonista da sua carreira e não ter de se submeter a relações de trabalho que restrinjam sua autonomia.

Os caminhos para você adotar esse novo posicionamento de mercado – que te permite ganhar o dobro trabalhando metade do tempo – é um dos temas do meu curso Welcome to the Django.

As aulas começam nesta segunda-feira dia 20/05. Será um prazer continuar esse papo com você por lá!

você pode gostar também