A indústria tradicional aponta o desenvolvimento ágil como o caminho para o mercado de TI

Ainda há quem critique a viabilidade das metodologias de desenvolvimento ágil. Pessoas que julgam o  Manifesto Ágil como teoricamente muito interessante, porém pouco prático. Entretanto, até as gigantes do automobilismo, tidas como indústrias tradicionais seguem se reinventando e injetando agilidade em seus procedimentos.
Henry Ford revolucionou a indústria com sua linha de produção, e impulsionado pelas guerras quentes e frias fez da “máxima produção”, a mais eficiente. Depois, o Toyotismo surgiu com a filosofia da “produção flexível”. O impacto foi enorme! Os carros japoneses invadiram o mundo e os EUA de tal forma, que em Detroit o “sonho americano” era um emprego. Anos mais tarde, o Volvismo abraçou as idéias de responsabilidade social preocupando-se com detalhes como a ergonomia da sua linha de produção, transformando a satisfação e saúde de seus empregados colaboradores em lucro.
Interessante! Mas como exatamente isso se relaciona com o mercado de tecnologia?
Bem, analogamente às fábricas da Ford temos as “antigas” fábricas de software, onde um programador operava mecanicamente no atendimento à requisitos funcionais de um sistema qualquer. Esse era o modelo amplamente usado pelo mercado de TI focado em soluções enterprisey. Qualquer empresa pequena que obtivesse um relativo sucesso acabava criando suas próprias fábricas de software, demandando procedimentos de controle burocráticos e caros.
Reagindo à esse modelo Taylorista, bons programadores acabavam trocando de projeto ou empresa sempre que esses cresciam ou inchavam em demasia. Estes profissionais saíam em busca de algo mais flexível (ou Toyotista) onde pudesse empregar seu potencial criativo e desenvolver novos conhecimentos.
Com o amadurecimento da web como plataforma de aplicações e serviços, o mercado passa por uma nova transformação. Clientes encomendam funcionalidades ao invés de produtos. Ciclos de desenvolvimento que duravam meses são reduzidos a semanas, trazendo a preocupação com o processo de entrega para o primeiro dia do projeto. Além disso, o perfil do profissional de TI também está mudando. Programadores desejam cada vez mais desenvolver idéias, e qualidade de vida vem se tornando essencial e não um simples diferencial.
É como resposta à estas e outras novas necessidades, que o desenvolvimento ágil com suas idéias um tanto Volvistas, vem se estabelecendo como a bola da vez no mundo da engenharia de software.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *