Autonomia & Tecnologia

Balanço do Dev in Rio 2009

4

SURREAL! Esse é o melhor adjetivo que encontrei para o dia 14 de setembro de 2009. Mesmo o Dev in Rio 2009 tendo sido idealizado, planejado e executado em apenas 20 dias, cerca de 400 pessoas compareceram ao Centro de Convenções SulAmérica, em plena segunda-feira, para falar de desenvolvimento de software, e principalmente, para falar sobre desenvolvedores de software.

O fim de semana ensolarado no Rio de Janeiro, caiu como uma luva após o frio de Caxias do Sul, enquanto eu e o Jacob estávamos na PythonBrasil[5]. O clima de verão serviu como um belo prólogo para o evento.

O Dev in Rio 2009 começou na hora programada, quando meu amigo Guilherme Chapiewski e eu abrimos o evento. Rapidamente falamos sobre o evento e sobre como seria o nosso dia. Tratamos de como achamos importante a interação entre comunidades, e aprender com pessoas especializadas em tecnologias diversas. Aproveitamos também, para agradecer muito aos nossos patrocinadores, apoiadores, comunidades e amigos que nos ajudaram muito mais do que vocês possam imaginar.

Abrindo os trabalhos, disparamos as duas trilhas do Dev in Rio 2009. No auditório principal, aconteceriam as palestras programadas, enquanto no foyer seria realizado o Coding Dojo.

O Coding Dojo é uma arena de programação organizada pela turma do Dojorio em conjunto com o Dojo@SP. A idéia é atacar problemas simples e lúdicos, utilizando técnicas de programação como Test Driven Development e Modelagem SOLID. Este definitivamente foi o gol de placa do dia!

A primeira palestra foi a do Ryan Ozymek, que entrou em cena com seu famoso pinguim para falar de sua experiência com software livre e a comunidade Joomla!

Logo depois, Guilherme Silveira e o Nico Steppat trataram de um tema bastante polêmico: Java está morto? Abordaram os fatos de que existem muitas coisas além da linguagem, no mundo Java. A prova disso é que a JVM vem sendo usada com muito sucesso como plataforma para linguagens como Python e Ruby.

Como ninguém é de ferro, fizemos uma breve pausa para o almoço. Quem comeu de mais e precisava de um tempo para a digestão se deu mal. O showman, Fabio Akita, não deu trégua e fez uma apresentação sobre o eco-sistema Ruby on Rails, que tirou o fôlego das meninas da tradução simultânea.

Na sequência, nosso novo amigo carioca, Jacob Kaplan-Moss fez sua apresentação sobre Django, o framework web para perfeccionistas desenvolvido em Python. Jacob falou dos conceitos e valores que guiaram o desenvolvimento do projeto, além de mostrar um pouco de código para apresentar ao público como usar o Django na prática.

A última palestra do dia foi feita por Jeff Patton, que falou bastante sobre desenvolvimento de produtos com métodos ágeis. Utilizando como narrativa a história de um projeto realizado em conjunto com Obie Fernandez, diversos problemas e soluções comuns no desenvolvimento de software foram destacados. Sem dúvidas uma ótima maneira de prender a atenção do público. Destaque para a analogia da Monalisa, que ajudou a evidenciar as diferenças entre abordagens incrementais e interativas.

No final, nosso grande amigo Vinicius Manhães Teles liderou um bate-papo entre palestrantes, comunidades e o público. Tive a impressão de que se eu e o Guilherme não controlássemos o relógio, a conversa teria varado a noite, pois não faltavam assuntos e perguntas interessantes. O público participou bastante. Foram levantadas questões como empreendedorismo e polêmicas como a estúpida regulamentação da profissão de analista de sistemas.

Em paralelo, eu, Guilherme, Gustavo Guanabara e a Flávia Freire passamos o dia gravando um gigantesco Podcast do evento, entrevistando o pessoal e filmando os bastidores. Falamos com palestrantes, patrocinadores e participantes, abordando todos os assuntos das palestras e colhendo opiniões sobre o evento em geral! Assim que as edições finalizarem vamos divulgar todo esse material para vocês.

Como o evento foi realizado numa segunda-feira, fechamos o evento convidando todos os participantes para uma edição épica do #Horaextra no Lapa40Graus. A entrada foi gratuita para quem apresentasse o crachá do Dev in Rio 2009, e realizamos o maior #Horaextra de todos os tempos.


Especial #Horaextra no Dev in Rio 2009.

Tenho certeza de que esse post não consegue transmitir 0,001% do que foi o Dev in Rio 2009. Por isso preciso encerrar esse texto gigante com mais agradecimentos. Preciso, e muito, enfatizar o quão fundamental foi o apoio de toda a turma da Globo.com, Caelum, Locaweb, D-Click, Associação PythonBrasil, Fábrica Livre, Myfreecomm, OpenSourceMatters, Arteccom, DojoRio, Dojo@SP, #Horaextra, PythOnRio, RioJUG, RubyInside Brasil, Guanabara.info, e todas as pessoas que participaram do Dev in Rio 2009.

Se você não foi no Dev in Rio 2009, tenho duas coisas para te dizer: (1) você perdeu uma farra das melhores mas (2) em breve vamos disponibilizar os vídeos das apresentações para amenizar sua dor.

Muito obrigado por tudo, Pessoal! E que venha 2010! 😀

[]’s!

você pode gostar também
  • Pingback: Vem aí o Dev in Rio 2010 | Henrique Bastos.NET()

  • Pingback: Resumo do Dev in Rio « Guilherme Garnier()

  • Vinícius Manhães Teles

    Henrique,

    Como havia falado para você e o Gilherme no dia, o que vocês fizeram não só foi espetacular, como foi um exemplo para a nossa comunidade de desenvolvimento de software. O Dev in Rio 2009 foi fantástico. Vocês estão de parabéns!

    Aguardo ansiosamente pela próxima edição.

    Grande abraço, Vinícius.